Escola Portuguesa de Díli

- Centro de Ensino e Língua Portuguesa Ruy Cinatti


Visita dos campeões portugueses que participaram no Tour de Timor-Leste

Numa conversa informal, no átrio da Escola Portuguesa de Díli, no dia 19 de setembro, foram recebidos os campeões nacionais David Vaz e Celina Carpinteiro, bem como Valério Ferreira, ciclista também consagrado.

_IMG_7753

Jantar/convívio dos professores

Na noite de 16 de setembro, realizámos, neste início de ano letivo, um jantar/convívio dos professores no Hotel Timor, que contou com a presença do Senhor Embaixador de Portugal e dos responsáveis da Associação de Pais.
Este momento, de alguma distensão, procurou proporcionar um espaço de convivialidade. Também, pudemos, manifestar as nossas boas vindas a todos que iniciaram a sua atividade profissional na nossa Escola.




Cerimónia de Abertura 2016/2017

Na Escola Portuguesa de Díli, mais um início de ano letivo.
Cerimónia de Abertura 2016/2017.


Intervenção do Diretor na abertura do Ano Letivo 2016/2017


Senhor embaixador de Portugal,
Ilustres membros do Conselho de Patronos,
Ilustres representantes da igreja católica, no caso os Senhores Padres João Felgueiras e Ângelo Salsinha
Ilustres representantes da sociedade académica e civil timorense
Senhoras e Senhores professores
Senhoras e senhores funcionários
Caras e caros pais
Alunas e alunos da Escola Portuguesa de Díli
Minhas senhoras,
Meus senhores,
Obrigado pela V.ª excelsa e distinta presença.
De modo preambular um sentido bem-vindo a todos, às crianças que iniciam o seu percurso, a todos os outros jovens que regressam à nossa Escola e àqueles que iniciam neste momento, também, funções em Timor-Leste.
Assinalamos a abertura de mais um ano letivo com rotinas que também são parte da identidade da Escola Portuguesa de Díli - Ruy Cinatti e encerram em si o desafio da continuidade na ambição de construir uma comunidade educativa de qualidade a que todos se orgulhem de pertencer.
Comunidade de serviço de que Portugal atribui capital importância
E,
Importância que o Estado da República Democrática de Timor-Leste reconhece e reafirma.
Esta comunidade educativa é constituída maioritariamente por timorenses, com mais de 200 crianças a frequentar o EPE e 700 alunos que frequentam desde o 1.º ano ao 12.º ano.
Aposta continuada na Educação Pré-Escolar, com o aumento do número de crianças.
Uma palavra de reconhecimento às educadoras e funcionárias de apoio.
Como já anteriormente afirmado, é a esta comunidade educativa, empenhada e promotora – num clima afável e colaborativo - de valor acrescentado para Díli e Timor-Leste, porque sustentada em relações profissionais e laços de solidariedade entre todos os atores educativos, que se renova o desafio de assumir a responsabilidade de exigir e construir para a Escola Portuguesa de Díli - Ruy Cinatti um ensino de qualidade.
E continuar a dar cumprimento de uma obrigação basilar,
- Manter a Escola Portuguesa de Díli um espaço de referência da língua e da cultura portuguesa, exigente nos propósitos, qualificante e qualificadora dos recursos humanos.
- Se o desiderato primeiro, a promoção e difusão da língua e da cultura portuguesa, bem como dos laços linguísticos e culturais entre Portugal e Timor-Leste, a contribuição para a promoção socioeducativa dos recursos humanos proporcionando uma formação de base cultural portuguesa, deve constituir um objetivo estratégico.
Neste propósito,
Cada vez mais se convence e nos convence que um desenvolvimento sustentável de Timor será possível e desejável numa articulação íntima com a cultura.
Numa linha filosófica defendida por Albert Camus que com uma seriedade lúcida procurou iluminar os problemas da consciência humana no nosso tempo e de modo destemido anunciava que “sem liberdade nada pode existir” e, liberdade, sedimenta-se com mais e melhor educação.
Mas consideramos este aspeto, a educação não numa dimensão abstrata, mas com seres humanos concretos.
As nossas crianças e os nossos alunos.
E uma das especificidades, substantiva das Escola Portuguesas no Estrangeiro, em particular esta nossa em Timor-Leste, é a sua natureza internacional, cosmopolita.
Ainda com Camus, não há cosmopolitismo sem raízes, não existe ética cosmopolita sem pátria. Um cosmopolita é um bom anfitrião, tratando bem aqueles que veem a nossa casa.
Só podemos ser cosmopolitas se mantivermos estima e consideração pela nossa casa, segundo Pessoa “Minha Pátria e a Língua Portuguesa”, nós plasmamos a nossa casa comum é a língua, com
nuances e linguarejares diferenciados, mas sempre Língua Portuguesa.
Este é um dos sentidos possíveis da construção de um caminho que se faz caminhando.
Por veredas, com escolhos, dificuldades, mas com determinação de quem tem da Escola uma ideia de partilha, de lugar de saberes de ponto de partida para um mundo globalizado.
Escola multidisciplinar, inclusiva e determinante num futuro que não renegando o passado se constrói neste presente tão incerto.
Escola onde,
- As aprendizagens são significativas e substantivas.
- Onde aprender não é apenas um acumular de conhecimentos aos quais não se sabe dar uso, mas sim onde se pode dar sentido e aplicar tudo aquilo que se aprendeu.
- Onde existe prazer em aprender não só de forma orientada, como também autonomamente.
Porque procuramos compreender o meio envolvente e os anseios e expectativas dos jovens e das suas famílias, esta comunidade educativa organiza a sua oferta educativa, contextualizada e personalizada.
Com sentido. Espera-se agora que seja geradora de intervenções educativas adequadas, indutoras de um processo formativo de melhor qualidade!
Neste ano letivo de 2016/2017, na senda dos anteriores, este processo requer a conjugação de vontades e esforços no sentido de dotar a Escola Portuguesa de Díli de uma maior capacidade de resposta aos problemas que se nos colocam e procurar uma melhor integração dos nossos alunos no meio em que se movimentam, perspetivando o sucesso desejado.
Assim, fizemos notar em reuniões com a tutela da necessidade de aumento da capacidade de receção de novos alunos, apresentando mesmo uma proposta, de cerca de 2 milhões de euros a serem inscritos no próximo OE, que mereceu compreensão e apoio claro no nosso Embaixador, que nos permite a construção de 20 salas e de um auditório.
Não escondemos as dificuldades, obrigando-nos a continuar a desenvolver um planeamento estratégico, com vista à melhoria do desempenho dos alunos, que continuará a decorrer da prévia definição de áreas prioritárias de intervenção, as quais estão identificadas.
Com o empenho, disponibilidade, entrega e aposta na qualidade de todos, vamos continuar a rever-nos, com orgulho, na Escola Portuguesa de Díli que todos ajudamos a construir.
Obrigado.
Díli, 9 de setembro de 2016

Acácio de Brito

Diretor

Cerimónia de Abertura do Ano Letivo

Programa 9.9.2016_v3